Leandro Silva é Mestre em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

WhatsApp Image 2019-08-29 at 20.58.52

No dia 29 de agosto de 2019, em uma sala lotada de amigos e artistas no Departamento de Artes Dramáticas – DAD (UFRGS), o artista bonequeiro Leandro Silva defendeu sua dissertação de mestrado.

A dissertação de Leandro Alves da Silva, intitulada “TEATRO DE ANIMAÇÃO E TECNOLOGIAS: a Interface como articuladora das inter-relações entre o Teatro de Animação e as tecnologias a partir do trabalho de algumas companhias do Rio Grande do Sul”, fruto de pesquisa de mestrado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), articula duas temáticas centrais: o Teatro de Animação contemporâneo e as tecnologias.

A partir de entrevistas com artistas criadores e análise de acervos de algumas companhias – Cia. Caixa do Elefante, Cia. Lumbra, Grupo de Pernas Pro Ar e Grupo Fuzuê Teatro de Animação – busca compreender como estes sistematizam e dão sentido ao uso de tecnologias nas suas obras, especialmente na construção de bonecos e outras formas animadas, de elementos de cenografia e na criação de técnicas, artefatos, dispositivos e arranjos originais para atender às demandas específicas do seu processo criador. Busca ainda, através do aproveitamento metafórico do conceito de “Interface”, encontrar neste um “elo articulador” para essa polissemia de sentidos propostos, que fomentam o diálogo sobre tradição e inovação na cena do Teatro de Animação, e problematizam o que afinal constitui sua contemporaneidade.

O trabalho foi desenvolvido sob a orientação do Prof. Dr. Clóvis Dias Massa (PPGAC UFRGS) e a banca examinadora foi composta pela Profa. Dra. Marta Isaacsson (UFRGS), pelo Prof. Dr. Paulo Balardim (UDESC) e pela Profa. Dra. Maria de Fátima Moretti (UFSC).

WhatsApp Image 2019-08-29 at 21.43.46WhatsApp Image 2019-08-29 at 21.43.45(1)WhatsApp Image 2019-08-29 at 14.36.47WhatsApp Image 2019-08-29 at 21.43.45WhatsApp Image 2019-08-29 at 14.37.32

Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo realiza segunda etapa de Oficina de Teatro de Animação e Performance de Rua com o bonequeiro Leandro Silva, através do projeto “Cultura e Economia Solidária: Tecendo Redes pelo Direito à Cidade“ (Fundo Socioambiental Casa). Inscrições abertas!

Cartaz_2ª etapa Oficina de Teatro de Animação e Performance de Rua_Projeto Cultura e Economia Solidária_ Tecendo Redes pelo Direito à Cidade 2019

O Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo realizará, de 24 de agosto a 28 de setembro, a segunda etapa da oficina sociocultural de Teatro de Animação com o bonequeiro Leandro Silva. A oficina, além de oferecer formação artística na linguagem do Teatro de Bonecos, refletirá sobre o direito à cidade e a ressignificação do espaço público, como lugar de todas e todos. Como resultado final da oficina, os participantes elaborarão uma Performance de Rua coletiva intitulada “A Andarilha”.

As práticas da oficina consistem na construção coletiva de um boneco gigante, a elaboração de um “manifesto” sobre o direito à cidade e a realização de um cortejo festivo pelo bairro.

Aos concluintes da oficina serão entregues certificados de participação.

Público: a partir de 14 anos de idade, com disponibilidade e compromisso para realizar integralmente o curso.

Informações:

O que é: Oficina sociocultural de Teatro de Animação (& Performance de Rua “A Andarilha”).

Datas/Horários: 24 e 31 de agosto (sábados), das 9:30 às 12 horas. 07, 14, 21 e 28 de setembro (sábados), das 9:30 às 12 horas. Encontros extras: 20 e 27 de setembro, das 14:30 às 17 horas.

Local: Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo, na Avenida Capivari, nº 602, Cristal, Porto Alegre, RS.

Inscrições: através do e-mail leandrosilva.bonecos@gmail.com (enviar nome completo, data de nascimento, endereço e telefone/whats).

Atividade gratuita.

Mais informações: (51) 98269.4614

Esta atividade faz parte do projeto “Cultura e Economia Solidária – Tecendo Redes pelo Direito à Cidade”, realizado pela Associação Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo com o apoio do Fundo Socioambiental Casa.