LIVROS CARTONEROS

subversivo-capa-foto

SUBVERSIVO Edição Cartonera 2016

Da mão do artista para a mão do leitor…

O artista bonequeiro e escritor Leandro Silva relançou o livro de poemas “Subversivo” (2011) em formato cartonero. Cada livro é artesanalmente criado no ateliê do artista, através da metodologia e estética do Movimento Cartonero e editado através do selo Leander Ateliê Editorial. Criativo e eco sustentável, as capas são criadas a partir de papelão recolhido nas ruas do Centro de Porto Alegre, RS.

Sobre o livro:

Ponha um chapéu e sai pra rua… Hoje é seu “Subversive Day”, baby!

Imagine se fosse dada a cada pessoa a oportunidade de libertar-se de todas as convenções que a prende, e por um dia, uma hora, fosse-lhe permitido mostrar seu lado subversivo, louco, poético e cínico.

Seria o “Dia do Subversivo” ou o seu “Subversive Day”!

“Subversivo” é a reunião de escritos do autor, sob a forma de poesias e crônicas curtas, elaboradas no período de 2007 a 2011 e que, de forma inusitada, divertida e até erótica, versa sobre temas variados, como vida, morte, homo afetividade, sexo, cotidiano, respeito às diferenças e religião.

Sem se prender a formas e linguagem simples, os textos revelam ideias que muitas vezes mantemos ocultas ou reprimidas pelas convenções e pressões sociais. O livro é um convite ao leitor para, de forma poética e singela, explodir – inaugurar um Dia de Subversivo!

Descrição: Capas em papelão, fabricadas artesanalmente, coloridas e costuradas a mão.

Número de Páginas: 74

ISBN: 978-85-920936-0-0

Valor: R$ 25,00

Ano da Edição: 2016

Esgotado.

APRESENTAÇÃO DA OBRA

Produção, expressão ou domínio do que é belo”; “Princípios que norteiam uma habilidade ou ramo de aprendizagem”; “Bom gosto”; “Travessura, traquinagem”. Assim o dicionário SACONI1 define arte. Podemos supor então que todo e qualquer sujeito quer queira, quer saiba ou não, é detentor de uma veia artística.

“Subversivo”, um tema sui generis, nos remete talvez inconscientemente a pensamentos outros, isso mesmo, pensamento, imaginação, fantasia, etc. Com maestria, Leandro Silva envereda por um emaranhado de temas ousados e ao mesmo tempo tão comuns, chocantes; ao mesmo tempo leve, profano; ao mesmo tempo sagrado. O autor desnuda Deus. A reação dos crédulos é imaginável, mas fico imaginando também: qual seria a reação de Deus? Penso que ele daria ou está dando um risinho de canto de boca, não pela ousadia do cantoburitiense, mas pela coragem de escrever algo que a maioria tem medo até de pensar.

A obra passeia por temáticas às vezes retrô e por vezes contemporâneas, seja em forma de poemas ou autobiográficas: homoafetividade, sincretismo religioso, sexo são apresentados de forma descontraída, sem culpa ou medo de chocar. Afinal de contas todo mortal já viu ou ouviu algo a respeito.

No decorrer da leitura, percebo por parte do autor certa preocupação no que tange a recepção de seu livro. Sendo assim, aproveito o ensejo e aconselho aos possíveis juízes retornarem ao primeiro parágrafo deste prefácio.

“Subversivo” é antes de tudo a possibilidade de se ter contato com uma leitura recheada de surpresas, autoidentificação, indiferença e outras reações. Entretanto, “Subversivo” se propõe não a dá uma lição de vida, mas sim, um conselho pra vida.

Reinaldo M. Guimarães, Sociólogo.

1 SACCONI, Luis Antonio. Grande Dicionário Sacconi da Língua Portuguesa. São Paulo: Nova Geração, 2010.